terça-feira, 8 de maio de 2012

Cuidado com os carrapatos!

Antes restrito as áreas rurais e animais de rua, hoje em dia é muito comum encontrarmos carrapatos, mesmo em animais que vivem em apartamentos. Além da coceira, desconforto e repugnância, esses parasitas podem transmitir graves doenças aos cães como Erlichiose, Babesiose, Doença de Lyme e, em pessoas, como no caso da Febre Maculosa.

O seu cão pode entrar em contato com o carrapato em qualquer lugar: passeios em praças, parques e mesmo na rua.

- Em Petshop, no banho e tosa;
- Em zonas rurais: sítios e chácaras;
- Locais frequentados por outros cães como elevadores, carros de transporte, clínicas, etc;
- Locais frequentados por outros cães, vacas, cavalos e capivaras também.

Normalmente os carrapatos ficam grudados na pele do animal em locais escondidos como no meio dos dedos, dentro das orelhas, mas podem se espalhar por todo o corpo.
Em infestações recentes ou naqueles animais com uso recente de medicamentos preventivos, você pode encontrá-lo andando no pelo do animal e, até mesmo, subindo pelas paredes, podendo chegar à vários tamanhos.

COMO CONTROLAR AS INFESTAÇÕES - Hoje em dia pode ser mais fácil tratar das infestações de carrapatos, devido aos diversos produtos destinado à isso no mercado. Porém, SEMPRE SOB ORIENTAÇÕES DO MÉDICO VETERINÁRIO, pois, esses produtos devem ser usados com cautela em animais jovens, podendo ter restrições à alguma raças quando na presença da ivermectina.
A maioria dos produtos Spot On (de colocar na nuca) tem indicação de acordo com o peso do animal. Já o spray podem ser usados em animais mais jovens. Banhos com produtos especiais também podem ajudar no controle.

É muito importante que se faça o controle ambiental com provável dedetização e manejo ambiental, com controle de gramados e áreas secas. No outono e inverno, quando os gramados ficam mais secos e chove menos as infestações de carrapos pode se tornar um grande problema e o controle pode ser muito mais dificil, mesmo com o uso correto desses preventivos. O tratamento de todos contactantes é indicado, mesmo que os outros cães e gatos da casa não tenham o parasita.


AS DOENÇAS - Um exame clínico pelo médico veterinário do animal que tem ou teve carrapatos pode indicar caso o animal já esteja doente, apresentando anemia, sangramento, febre e dores articulares. Caso o animal esteja normal e sem alterações clinicas, somente com exames de sangue que poderá ser possível a identificação da doença. Exame de hemograma, contagem de plaquetas, exame de sorologia e exame de PCR podem fechar o diagnóstico de acordo com o tempo de contaminação pelo parasita.

Portanto, caso seu animal apresente este parasita, recomendamos entrar em contato com seu médico veterinário de confiança.


Fonte: Hovet Pet Care

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favorites More