sexta-feira, 4 de maio de 2012

Mimar seu cachorro é PREJUDICIAL!

As evoluções tecnológicas e de consumo afundaram o ser humano no mais profundo abismo de solidão e ruptura com suas origens. Se todos sentimo-nos sozinhos, somente outras espécies podem nos salvar. No cenário atual, animais domésticos são peças fundamentais para manter o ser humano equilibrado e em contato com o seu “eu” primal. Mas e os animais, será que estão equilibrados?
Qualquer animal nasce com os instintos naturais de sua espécie. Uma cadela sabe exatamente o que fazer com um filhotinho, mesmo que jamais tenha parido na vida, assim como uma mãe humana sabe o que fazer com um bebê, mesmo que nunca tenha sido mãe antes. Isso é ótimo! O problema acontece quando se misturam as estações: mães e pais humanos usando seus instintos demasiadamente humanos em cães com psicologia demasiada canina. Tratam seus cães como bebês, ou seja, sem a disciplina necessária que um animal selvagem domesticado necessita para sua sobrevivência. E essa característica, exclusivamente humana, chama-se egoísmo.
O Canis familiaris, ou simplesmente cachorro, é um animal de outra espécie, e consequentemente tem necessidades particulares à sua natureza. Seu cão não é um humano de quatro pernas! Tratá-lo como criança é matar nele a dignidade de ser cachorro para satisfazer a sua carência humana.
Eu não quero dizer com isso que não se possa falar com voz infantil, abraçar e beijar seu cachorro; eu mesmo o faço sempre! Seu cão precisa de carinho, porém no momento certo. Carinho e atenção são recompensas muito fortes e devem ser dadas apenas quando o cão está relaxado, assim você estará recompensando um estado de espírito equilibrado. O cão busca sempre o estado em que ele recebe a recompensa. Se você faz carinho ou dá atenção quando seu cão está com medo, agressivo ou dominante, você está recompensando o desequilíbrio dele, fazendo com que ele busque estar desequilibrado sempre. Estes estados de espírito devem ser ignorados ou repreendidos.
É fácil identificar um estado agressivo ou de medo para que se repreenda o primeiro e ignore o segundo, porém muitos têm dificuldade de identificar os sintomas de dominância. 
Cada dia eu tenho mais certeza de que os cães só voltarão a ser equilibrados no dia em que os seres humanos também encontrarem o seu ponto de equilíbrio. Por isso, o meu trabalho não é treinar cães, e sim capacitar seus donos para entendê-los e reabilitá-los.
Bruno Leite – O Terapeuta de Cães

Já conhece o site Terapeutas de Cães? É ótimo e merece consulta!

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favorites More