sexta-feira, 11 de maio de 2012

Composteira de fezes caninas: a natureza agradece!



O cocô de cachorro, muitas vezes, acaba em sacos plásticos que levam anos para se decompôr no lixão local. Em vez de contribuir para esse cenário, vai aqui uma dica: construa você mesmo uma composteira no jardim.

Alguns passos simples convertem a sujeira em bioprodutos inofensivos que retornam ao solo. Esse hábito ecológico não apenas evita manusear fezes como é melhor para o meio ambiente, já que preserva a fonte d’água mais próxima da contaminação de parasitas que podem infestar os dejetos do animal.

É importante ressaltar, no entanto, que o cocô compostado não deve ser utilizado em horta de legumes, verduras ou frutas, pois pode conter micróbios e/ou parasitas prejudiciais aos humanos. Mas você pode facilmente criar uma unidade fechada onde o cocô pode se decompor naturalmente.

Material

• Um cesto de lixo com tampa; 
• Cascalho (um saco); 
• Composto ou enzimas para limpeza de tanques sépticos; 
• Cal ou bicarbonato de sódio; 
• Furadeira elétrica com ponta de 1/4 de polegada; 
• Pá; 
• Tinta em spray. 

Instruções

Selecione um canto do seu jardim que seja de fácil acesso. Vire o cesto de cabeça para baixo, coloque-o no local selecionado e borrife um círculo de tinta em volta do bocal, desenhando a forma no solo. 
Usando essa forma como guia, cave um buraco com a profundidade do cesto de lixo, deixando espaço suficiente no topo para levantar e recolocar a tampa do lixo. Não cave onde houver sistema hidráulico ou outras estruturas subterrâneas. Vá sentindo à medida que cava, retirando apenas solo suficiente para permitir o preciso encaixe do cesto de lixo. Com a furadeira, faça diversos furos no fundo do cesto para permitir uma boa drenagem e posicione o cesto dentro do buraco. Acrescente uma camada de cascalho no fundo do cesto.

Recolha as fezes do cão e coloque dentro da composteira, tampe firmemente, e, uma vez por semana, levante a tampa e polvilhe composto ou enzimas (encontrados em lojas de construção ou de jardinagem), obedecendo as instruções da embalagem. Acrescente uma camada de cal ou bicarbonato de sódio periodicamente se o odor estiver incomodando.

Fonte: artigo publicado por Tom Barthel na Revista Natural Dog+Dog Fancy. Barthel é mestre em jardinagem de Lansing, Michigan (EUA), e escritor autônomo especialista em assuntos relacionados a cães e jardins.

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favorites More