sexta-feira, 13 de julho de 2012

Conheça a história de Scooby

Scooby, o sobrevivente do CCZ

Scooby, o cão sem raça definida, residente do bairro Aero Rancho, de Campo Grande, virou notícia da noite para o dia e é um marco para a história da proteção animal do país.

Com suspeita de Leishmaniose, seus tutores resolveram levá-lo ao CCZ para seu sacrifício, como habitualmente feito na cidade. Como não dispunham de veículos apropriados para o transporte, os tutores amarraram o cão em sua moto e o arrastaram até o Centro de Zoonoses, cuja distancia percorrida foi cerca de 4km.

A médica veterinária do CCZ Ana Paula Nogueira disse ao G1 que o vira-lata ficou com ferimentos graves nas patas. “Foi horrível. O cão chegou aqui todo ensanguentado. A recepção do CCZ ficou tomada de sangue”, afirma. Segundo ela, o cão estava infestado de carrapatos e com sintomas de leishmaniose. “A patinha dele estava em carne viva. Já medicamos, mas ele não consegue ficar em pé”, afirma Ana Paula. 
“Ficamos horrorizados com o que aconteceu. Assim que eles chegaram, nós não deixamos eles [suspeitos] irem embora e chamamos a polícia. É um absurdo”, relata.

O caso evidente de maus-tratos foi prontamente atendido pela Delegacia Especializada de Repressão a Crimes Ambientais e Proteção ao Turista (Decat) , Suzimar Batistela. Segundo ela, o dono do animal, um homem de 57 anos, estava na garupa. A moto era guiada pelo genro, de 43 anos. Os dois prestaram depoimento na Decat. Eles disseram à delegada que não correram e não sabiam que o cão estava se ferindo durante o trajeto.

De acordo com Suzimar, os dois suspeitos foram indiciados por maus-tratos e liberados. O CCZ deve encaminhar um laudo sobre o estado de saúde do bicho para ser anexado ao caso. Se forem condenados, os homens podem pegar até um ano de prisão ou serem condenados a alguma pena alternativa, como serviços comunitários.

A CAMINHO DA EUTÁNASIA - A diretora do CCZ, Júlia Maksoud, disse que o cachorro está recebendo tratamento clínico para os ferimentos que sofreu e medicamento carrapaticida. O cachorro já passou pelo teste rápido que atestou a leishmaniose, mas o sangue de Scooby foi coletado e enviado para laboratório. “Se o segundo teste for positivo, ele será eutanasiado, conforme as normas do Ministério [Saúde]”, explicou. Caso o resultado seja negativo, não será feita contraprova e o animal continuará sendo tratado das lesões e poderá ser destinado a adoção.

ADOÇÃO - Depois que o caso de Scooby foi divulgado, a Sociedade Abrigo dos Bichos comunicou que irá enviar um ofício requerendo a guarda do animal, para que ele seja tratado em uma clínica veterinária, mesmo que seja comprovada a leishmaniose.

ABAIXO-ASSINADO - Voluntários e simpatizantes da Instituição, comovidos com o caso, fizeram uma Petição Pública pedindo a liberação do cão da eutanásia e, em menos de dois dias, alcançaram as 10 mil assinaturas. "A população se comoveu com o cãozinho Scooby e todos nós evitaremos uma morte desnecessária" diz a voluntária Thályna Zuiewsky.

A mobilização aconteceu nas redes sociais e teve seu objetivo atingido, pois o prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) assegurou que o animal receberá tratamento contra leishmaniose. "As pessoas subestimam a força dos protetores. Se um país inteiro se abalou pela morte da cadelinha em GO, se o mundo inteiro se mobilizou pelo Lennox, porque não poderíamos nos mobilizar pelo Scooby? Ja está mais do que na hora das pessoas pararem de duvidar do nosso potencial." afirma Thályna.

A lista com as assinaturas foram entregues ontem no CCZ, por voluntários da Sociedade Abrigo dos Bichos.

SOBREVIVENTE DO CCZ - Comovido, prefeito determina que cão Scooby não seja sacrificado.


Pela manhã, o prefeito já havia divulgado em seu Facebook que Scooby seria tratado e não sacrificado. Depois, a postagem foi retirada e substituída por uma explicando que o cão vai ser tratado enquanto os resultados dos exames não saem e que fosse confirmada a doença, ele teria o mesmo destino de outros cães com leishmaniose.

Agora à tarde, após muitos comentários no Facebook, nova mudança. Segundo a assessoria de imprensa da Prefeitura, diante da situação de Scooby, o prefeito ficou sensibilizado e se reuniu com técnicos da área para determinar que o animal não fosse sacrificado.

Scooby permanece no CCZ, para onde foi levado após sofrer as agressões. O dono alegou que o animal estava com sintomas de leishmaniose e que só o amarrou à moto para levar até o local porque havia chamado e o Centro não havia enviado equipe ao local.

O prefeito também anunciou hoje que vai ser implantado no CCZ um pronto-socorro veterinário.
Fonte: CGNews

E OS OUTROS SCOOBY? - A Sociedade Abrigo dos Bichos está em euforia. “É tudo de bom”, diz Maria Lúcia, presidente da instituição. Para ela, a atitude do chefe da administração municipal representa o início de uma parceria com o poder público. “Esta nova atitude vem de encontro à política do Abrigo dos Bichos”, fala.

Mas o caso da Leishmaniose não pára por aí. Há muitos cães diagnosticados com a doença que morrem todos os dias no Centro de Controle de Zoonoses.

Veja o vídeo e entenda um pouco mais sobre a nossa luta:




Saiba mais:
Blog dos Bichos - O que é Leishmaniose?
Blog dos Bichos - Vacina contra a Leishmaniose
Blog dos Bichos - Tratamento de leishmaniose é proibido?
Blog dos Bichos - Verdades e Mentiras sobre Leishmaniose

ONDE SAIU:
Midiamax - mais 10 mil internautas assinam petição para salvar cãozinho vítima maus tratos.
G1 MS - Dono amarra cão em moto e o arrasta por 4 km, diz delegada em MS
Diário digital - Edição 713
G1 GLOBO - Apos ser arrastado por 4 km, vira-lata pode ser sacrificado em MS.
ANDA - Prefeito declara que Campo Grande, MS, terá UPA Veterinária e que Scooby não será sacrificado.
CGNews - Comovido, prefeito determina que cão Scooby não seja sacrificado.
CGNews - "É tudo de bom" diz Abrigo dos Bichos sobre o não sacrifício de Scooby.
Midiamax - Prefeito anuncia construção e apresenta projeto de primeira UPA veterinária do Brasil.

0 comentários:

Postar um comentário

Twitter Facebook Favorites More